20 fevereiro 2013

A iniciação dos Desejos - Conto


Diga-me que você se entregará a mim... Que deseja o meu poder sobre você... Diga-me que poderei contar com sua obediência, e que assim realizarei meus desejos mais insanos... 

Ela

Por uma terrível ironia do destino, eu me separaria dele. Depois de tanto tempo juntos, depois de tanta entrega, amor e envolvimento, nossas vidas seguiriam por caminhos distintos.
Nesta última noite, ficamos um bom tempo abraçados, sem dizer nada, apenas escutando o coração do outro bater. Ele alisava meus cabelos com carinho, como sempre fazia, enquanto eu descansava minha cabeça em seu peito, sentindo seu cheiro doce e irresistível. 
Eu não queria chorar, pois se esta seria nossa última noite, ela deveria ser perfeita. Se o destino tiraria da gente o melhor que já tivemos, que então isso terminasse de uma forma especial.
--- Em que você está pensando? – ele me perguntou.
--- Em tudo e em nada... Em mim, em você, nesta noite e na vontade que eu tenho que tudo isso seja eterno!
--- Eu também queria que fosse, amor... – ele me apertou mais junto dele e me beijou com carinho no rosto.
--- E você, em que está pensando? – perguntei com curiosidade.
Ele suspirou por um momento, buscando as palavras.
--- Estou em pensando em como eternizar este momento... 
Bastou ele dizer isso para o clima mudar. Nós nos olhamos por algum tempo, enquanto eu sentia aquela descarga elétrica percorrer meu corpo, desejando-o cada vez mais perto de mim... 
Nos soltamos do abraço, e quando eu vi, estava em cima dele, beijando-o, enquanto suas mãos procuravam tirar minhas roupas, e eu as dele.
Ele beijava e me mordia no pescoço, coisa que me faz gemer pra caramba, enquanto suas mãos alisavam meu bumbum e vez ou outra, me apertavam e batiam gentilmente. Ele começou pela minha blusa, depois meu sutiã, saia, meias e finalmente a calcinha. Eu já estava ficando louca de prazer, e podia sentir que ele também!
Tentei tirar suas roupas, mas ele me olhou de um jeito voraz que me fez parar. Me senti a presa naquela cama, e por mais estranho que pareça, eu gostei!

Ele

Ela me olhou assustada quando não deixei que me despisse. Percebi medo em seus olhos, e isso me excitou. Eu a queria, como sempre, mas hoje, de um jeito diferente... 
Vendo-a nua, senti vontade de beijar seu corpo. Comecei por seus seios, lambendo-os de leve, e depois mais forte, sugando, apertando com as mãos e até mordendo, até conseguir ouvi-la arquejar e gemer de dor e prazer.
Eu olhava para ela me deliciando com sua inocência, tensão e medo. Eu iria surpreendê-la nesta noite!
Ela parecia assustada com isso, e eu me diverti vendo-a assim. Soltei seus seios, deslizando minhas mãos por sua barriga, chegando finalmente onde eu queria... Sua buceta era linda, e o melhor de tudo: era minha, e só minha!
Percebendo o que iria fazer, ela começou a se mexer e pedir para eu parar. Eu já a conhecia bem demais para saber que ela não pararia tão cedo, por isso, resolvi ajuda-la.
Busquei uma mordaça, e ela aceitou sem questionar, mas me devolveu um olhar desconfiado. Depois disse a ela que a amarraria se ela não parasse de se mexer. Ela balançou a cabeça de forma afirmativa, e eu pude prosseguir.
Tirei minhas calças e camisa e me excitei mais ainda ao vê-la olhar meu pau duro. Passei ele por sua buceta, deixando-a mais molhada. Era incrível como ela se excitava comigo! Bastava um toque ou meias palavras e pronto, eu já a tinha toda para mim!
Afastei suas pernas e me deitei, de modo que meus lábios tocaram sua buceta. Minha língua queria sentir o gosto dela, e por isso comecei a chupá-la.
Ela gemia do jeito que podia com a mordaça... Com isso, eu fiquei louco e chupei com mais intensidade, sentindo a maior vontade de possui-la mais e mais.
Tirei minhas roupas, subindo em cima dela, buscando um beijo longo e delicioso. Ela devolveu esse beijo com paixão, enquanto minha mão tocava sua buceta, deixando-a melada e excitada.
Era uma delicia estar dentro dela! Meu pau queria fodê-la, e por isso eu não esperei mais! Senti-a com medo e tesão, porque realmente, eu nunca a fodi com tanta vontade! A cada estocada, eu crescia dentro dela! A cada estocada, ela se desmanchava de tanto prazer...
Depois de tanto fodê-la, meu corpo cedeu e cai por cima dela. Tirei a mordaça e nos beijamos, sempre nos tocando, e eu pude ver seus olhos sorrindo para mim. 
E então perguntei:
--- Está bom para você, amor?
--- Muito! – disse abrindo os braços para me abraçar.
Me soltei do abraço e disse:
--- Se está bom, eu vou te comer mais!
Amordacei-a novamente, mas agora virando seu corpo. Eu queria seu cuzinho, e ela sabia disso!
Pedi que ela ficasse de quatro. Adorava vê-la assim!
Ela obedeceu, e devagar, eu entrei! Que sensação maravilhosa... É tão apertado... 
Eu a fodia com força, deixando meu pau sair um pouco, e ao entrar, estocava bem fundo, fazendo-a arquejar... Sentia seu corpo tremer de prazer, mas nem isso me fez diminuir o ritmo!
Com as mãos, tocava seu clitóris para aumentar seu prazer, sempre estocando com força e vontade. É uma delicia fodê-la assim, e o melhor é que ela também sente o mesmo!
Minha mão a alisava, e sem perceber, meu dedo foi entrando na sua buceta; ela não reclamou, e por isso coloquei mais dois. Ela também não reclamou... 
Disse em seu ouvido que ela era gostosa, e como sempre, isso a acendeu mais ainda, e pude sentir seu cuzinho apertado, vindo de encontro ao meu, aumentando o prazer a cada estocada.
Eu precisava me esforçar para não gozar... Seu cu era tão apertado que tornava mais difícil não ceder... E meus dedos buscavam-na com mais prazer, mexendo nela toda, deixando-a mais molhada do que nunca! Ela sem querer estava me dando prazer de duas formas!
Coloquei o quarto dedo, e percebi um limite... Nessas horas, só quem faz entende como é difícil se segurar e não colocar o quinto dedo. Mas eu não queria machuca-la, até porque nunca fizemos isso, então me contive, fechei os olhos e curti ao máximo aquele momento!
Senti que ela ia gozar, pois ela gemia cada vez mais, e eu também não conseguiria me segurar se continuasse assim. Então, sai de dentro dela e a deitei de lado na cama. Pedi gentilmente que ela segurasse seu orgasmo, pois eu tinha mais uma surpresa para ela! Ela concordou com a cabeça, meio apreensiva, mas cheia de tesão.
Deitei meu corpo junto ao seu, abraçando-a e beijando seu pescoço com carinho. Ela relaxou ao meu lado, meio que sem entender aquela parada no momento em que nosso clímax estava atingindo seu máximo.
Continuei com os beijos, enquanto minha mão percorria seu corpo. Podia senti-la se arrepiar toda de excitação e prazer. Então, minhas mãos finalmente chegaram em seu bumbum... 
Com delicadeza, desci e a beijei lá. Ela se contorcia, e aquilo me acelerou! Pedi que ela ficasse calada e que fechasse os olhos. Ela obedeceu e eu a deixei. Busquei uma venda em minhas coisas e prendi-a envolta dos seus olhos. 
Ouvi-a arquejar de prazer, o que foi delicioso... 
--- Amor, faremos algo novo, mas para isso, você precisa confiar em mim! Não direi para não falar, porque amordaçada desse jeito, seria impossível... – debochei dela, adorando a situação! – Ah, e nada de gozar! Só quando EU deixar... Agora, eu vou te ter do meu jeito!
Senti-a mole na hora, arquejando, gemendo o quanto podia naquela situação... Era tanto prazer, que eu sabia que estava sendo difícil para ela... Mas meu apetite pedia aquilo... 
Me demorei olhando seu corpo, sem tocar em nada. Via-a tensa, esperando que eu atacasse, e me diverti... Ela mal sabia o que estaria por vir...
Deitei do seu lado e tirando a mordaça, beijei sua boca. Amordacei-a novamente e procurei seus seios deliciosos... Mordia e puxava tanto, que já imaginava as marcas no outro dia... 

Deslizei minha língua por seu corpo, até encontrar sua buceta e seu cuzinho. Ela não me decepcionava... Estava extremamente molhada, o que facilitaria meu plano... 
Sem pressa, deslizei alguns dedos da mão esquerda por seu cuzinho. Eles entraram sem dificuldade, já que há poucos minutos eu a tinha fodido ali. Depois, deslizei alguns dedos da mão direita por sua buceta... Tanto na frente quando atrás, ela estava molhava!
Ela me respeitou, e incrivelmente esteve concentrada o tempo todo, mantendo-se quietinha enquanto eu a fodia daquele jeito, na frente e atrás! Minhas mãos estavam mergulhadas nelas, e eu me deliciava com aquilo!
Meu pau estava mais duro do que nunca! Eu senti tanto prazer que gozaria a qualquer momento... 

Ela

Ele realmente estava me surpreendendo naquela noite... Porque quando eu pensei que já tivesse sentido tudo, isso me acontece! Foi a melhor sensação da minha vida! Eu era preenchida por inteiro! Eu estava ali, totalmente entregue as vontades dele, sem poder enxergar nem dizer nada... Eu era dele, toda dele para ser abusava e usada do jeito que ele achasse melhor!
Era tão gostoso, mas ao mesmo tempo dolorido. Eu gemia e me contorcia, mas ele não parava! Ela me percorria com as mãos, tirando de mim o controle que eu tinha sobre eu mesma, me fazendo sentir prazer de um jeito inovador e único!
Eu não conseguia me aguentar, mas não podia gozar. Ele mandou, e eu devia obedecer! Eu era toda dele, hoje, mais do que nunca; eu era sua presa, totalmente vulnerável, entregue e submissa e ele!
Sem avisar, senti suas mãos me deixarem. Temi seus movimentos, mas continuei calada. Alguns instantes depois, ele virou meu corpo e com pressa, penetrou-me por trás, rasgando-me toda de novo!
Fui pega de surpresa novamente, mas adorei!
Ele aproximou nossos corpos, e disse em meu ouvido:
--- Você é gostosa demais... 
Eu me contorcia e quase gozei. Ele estocou mais vezes e mais depressa, gemendo e apertando meu corpo contra o dele!
--- Agora, sim, eu lhe dou permissão para gozar, amor... Goza pra mim, goza no meu pau...
Ele não precisou fazer mais nada. Só de escutar sua voz sedutora me dizer essas coisas, o orgasmo veio com pressa, me fazendo cair na cama totalmente sem forças! Ele deitou também, ainda dentro de mim, estocando ritmicamente, com mais intensidade, mais desejo, prolongando assim o prazer do meu orgasmo... 
Foi quando eu o escutei gemer, e largar seu corpo junto ao meu, curtindo o prazer de seu próprio orgasmo agora, tão voraz, intenso e eterno!
Nós ficamos assim por algum tempo, até que ele tirou a venda dos meus olhos e a mordaça da minha boca. Estavamos exaustos, e eu particularmente bastante dolorida. Ele me abraçou, juntando nossos corpos, e eu deixei minha cabeça em seu peito. Seus lábios procuraram os meus, e ele me beijou com carinho, e eu devolvi o beijo, tentando naquele gesto, passar quão feliz e grata eu estava por aquilo que ele tinha feito... Tentando agradece-lo por ter me feito sentir completa, por ter me dado o melhor orgasmo da minha vida! Por ter me feito sentir prazer de um jeito que eu jamais imaginei existir!

Autora: Natalia Ribeiro

2 comentários:

  1. Você publicou! Obrigada, Sr. Santiago! Não tenho como agradecer... Obrigada mesmo!
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro ! Eu gostei, rs.

      Obrigado você.

      Beijo,

      'Santiago

      Excluir

Seu comentário estará visível, após ser aprovado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida. "Apocalipse 21:6"

totalgifs.com gueixas gif gif fountainpchina.gif